A adaptação do livro Porque Vivemos – uma entrevista a Isabel Couto

A adaptação do livro Porque Vivemos – uma entrevista a Isabel Couto

Isabel Couto é formadora, Mestre em Gestão de Empresas na especialidade em Planeamento e Estratégia Empresarial. Tem vindo a fazer um longo percurso de desenvolvimento pessoal nas mais diversas áreas e foi uma das revisoras da versão de brasileira para a adaptação à versão portuguesa do livro Porque Vivemos, do professor Kentetsu Takamori, na preparação da entrega do livro à Editora Nascente.

Nesta entrevista, procuramos descobrir o que a cativou neste livro.

Como foi esta experiência de rever um livro budista?

Colaborar neste projeto foi um grande desafio pessoal e uma experiência bastante enriquecedora a todos os níveis. 

Este livro deu-me a possibilidade de aprofundar um pouco mais, o meu conhecimento da filosofia budista. 

Qual o termo que se mostrou mais desafiante para ti?

Houve vários, pois não queremos mudar o sentido do texto e alguns são bastante diferentes, até pejorativos em Portugal, por exemplo: seita = escola; fazer a correspondência entre os níveis de ensino; entre outros. 

Houve também termos bastante exigentes como:

  • ICHINEN… 
  • MUMYO NO YAMI – ESCURIDÃO DA MENTE, MENTE ESCURIDÃO CICLO DE NASCIMENTO E DE MORTE…

todos eles são muito profundos e requereram reflexão e aprofundamento.

Partilha connosco um dos ensinamentos que mais te tocou neste livro, para a tua vida?

Uma verdade universal que perpassa toda a doutrina budista. Boas acções produzem bons resultados (felicidade); por oposição, más acções acarretam maus resultados (infelicidade, desastre). A lei da causalidade, também conhecida como “lei do carma”, preceitua que tudo o que nos acontece, de bom e de ruim, igualmente, é determinado pelas nossas acções.  

O que achaste do capítulo “Viver para trabalhar ou trabalhar para viver?…..”

É o espelho da sociedade que se tornou hedonista. Uma chamada de atenção para tomarmos consciência do nosso verdadeiro propósito de vida e para vivermos a vida em plenitude.  Quando o propósito da vida se torna evidente, todas as atividades – estudar, trabalhar, cuidar da saúde – adquirem significado, e a vida se enche-se de alegria e satisfação.

Tiveste também oportunidade de ver o filme em animação “Porque Vivemos”, o que achaste?

O filme de animação “Porque vivemos” aborda o budismo no Japão há mais de 500 anos e as questões internas de um camponês, que era revoltado e não valorizava a família. A vida encarrega-se de lhe ensinar qual o seu verdadeiro propósito com o Mestre Rennyo. As várias histórias e personagens são cativantes e promovem a reflexão sobre os temas como valorizar a família, desapego, felicidade, missão de vida, altruísmo, entre outros. Um conteúdo profundo abordado de forma leve e delicada.

Que conselho queres deixar aos nossos leitores sobre este tema de Porque Vivemos?

Um excelente livro, de fácil leitura, que poderá dar algumas respostas a quem procura o verdadeiro sentido da vida.

Não culpar o destino é o primeiro passo para ter uma vida saudável e feliz

Janeiro 25, 2019

Lançamento do livro Porque Vivemos em Lisboa

Janeiro 25, 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *