Blog

  • Home
83F6166D-4CEC-4B82-9D7F-4BAE7516E625

Pessoas de todos os países e de qualquer época querem viver em paz e sentir uma felicidade plena, nesta vida. É um desejo universal. A paz interior pode ser entendida como um estado de ausência de sofrimentos, mas segundo a filosofia budista, o mais adequado é dizer que estar em paz é viver num mundo em que “as ondas de todo o sofrimento transformam-se em alegria”. Obviamente, isso refere-se ao nosso “mundo interior” ou “eu interior”.

No livro “Porque vivemos”, o Prof. Kentetsu Takamori explica sobre este “mundo interior” de perfeita paz, da seguinte maneira.

Um menino percorria um caminho da montanha todos os dias para ir e voltar da escola. Nos dias em que ficava até tarde para alguma atividade extracurricular, a montanha era assustadoramente escura na volta para casa. 

No verão, o sol brilhava, feroz, porém no inverno ele era muitas vezes forçado a se agachar por causa dos ventos provocados pela nevasca. A chuva transformava o caminho montanhoso numa catarata. Cheio de ressentimento, o menino muitas vezes resmungava consigo: “Se a escola fosse mais perto… se a montanha não existisse”.

Então, um dia uma linda menina foi transferida para a escola dele. Por coincidência, ambos viviam na mesma aldeia e por isso os dois começaram a ir juntos para a escola, conversando, falando que o caminho era longo e a montanha deserta. Logo ficaram amigos.

Quando voltavam para casa uma tarde, foram pegos por uma súbita tempestade. A chuva não dava sinal de amainar. Os dois tinham apenas um guarda-chuva, pertencente à menina. Vendo-se apertado ao lado dela debaixo do guarda-chuva, o menino rezava em silêncio durante todo o caminho: “Que a chuva não pare… que a montanha esteja mais deserta… que a aldeia fique mais longe…”.

As coisas que antes o atormentavam – a grande distância, a chuva, o isolamento do caminho da montanha – não tinham mudado e ainda continuavam a existir, mas não o preocupavam mais, nem causavam sofrimento. Todos os obstáculos e dificuldades ao bem-estar do menino, transformaram-se agora em fonte de alegria. 

Qualquer pessoa provavelmente já passou por uma experiência semelhante em algum momento da vida. Esta é apenas uma analogia para explicar o que é, e como é o estado de paz interior perfeita, com uma felicidade plena e duradoura que todos nós desejamos. Tudo isso é possível nesta vida, mesmo com desejo, raiva e todos os outros sentimentos que qualquer ser humano possui e que causam sofrimento no nosso quotidiano. 

A filosofia budista, transmitida e explicada pelo Buda Shakyamuni, há 2600 anos, indica o caminho para alcançarmos este estado de paz interior e felicidade, que é possível nesta vida para todas as pessoas, sem exceções.

Saiba mais sobre este assunto com a leitura dos livros PORQUE VIVEMOS e CAUSA E CONSEQUÊNCIA – Filosofia budista para o dia a dia, e participando do Ciclo de Conversas – Nada é por acaso ou sem sentido.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

mm
Professor de filosofia budista, autor, diretor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *