Blog

  • Home
AE935FBD-0A0B-4087-A367-54C66ACB903D

A vida progride incessantemente, de ontem para hoje e de hoje para amanhã. «O tempo voa», costuma dizer-se. E talvez seja verdade que seguimos a uma velocidade vertiginosa. 

Quando crianças, progredimos de ano em ano, pelo ensino básico e pelo ensino secundário, até que chega o momento de nos prepararmos para o exame de acesso ao ensino superior; quando o momento é de festa, festejamos; e, quando é altura de trabalhar, concentramos os nossos esforços nisso. A partir do momento em que somos lançados às águas turbulentas da vida, vemo-nos forçados a continuar a nadar. 

Viver é, em certo sentido, igual a nadar, a pessoa que declara «Vivo para viver cada momento, cada dia, da melhor maneira possível, sem se preocupar com o propósito da vida. O importante é caminhar, pois o caminho se faz caminhando.» é igual àquela que declara «Nado por nadar». 

Mas o que acontece com uma planta flutuante? É lançada sem rumo, para um lado e para o outro, nas ondas, até apodrecer. O infortúnio do nadador sem rumo ou sem propósito é o mesmo. 

Repetir simplesmente o ciclo de comer, dormir e levantar, sem conhecer a alegria e a satisfação duradouras, é como correr sem saber que direção seguir. É nunca atingir a alegria e satisfação de poder dizer: «Como sou feliz por estar vivo!» 

Ninguém se consegue esforçar para manter o ritmo sem a expetativa ou a alegria de transpor a linha de chegada. Também na vida só os que têm um sentido claro de direção e propósito conseguem manter o rumo com vigor. 

Quando o propósito da vida se torna evidente, todas as atividades — estudar, trabalhar, tratar da saúde — adquirem significado, e a vida enche-se de alegria e satisfação. Mesmo em situações em que o indivíduo sofre com uma doença, com uma disputa em família ou com uma derrota, a força de viver leva-o a superar todas as dificuldades a fim de realizar o grande propósito da vida. 

Leia mais sobre como a filosofia budista explica o propósito da vida nos livros “PORQUE VIVEMOS” (de Kentetsu Takamori) e “CAUSA E CONSEQUÊNCIA” (de Mauro M. Nakamura), publicados pela Farol / Penguin Livros, Penguin Bem-estar. Saiba mais sobre os livros e temas relacionados no site da Itiman, em: https://www.itiman.eu

mm
Professor de filosofia budista, cultura japonesa e pensamento nipónico, autor, diretor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *