Blog

  • Home

Todos os dias praticamos ações com o corpo, a boca e a mente. Ao falar, fazer gestos e pensar, estamos plantando sementes que um dia irão germinar e produzir frutos.

Partilhamos um pequeno vídeo sobre o Princípio da Causalidade (causa e consequência), que explica como as nossas ações passadas construíram o momento presente que vivemos, o dia de hoje. E, também, de que maneira as nossas ações de hoje constroem o dia de amanhã e todo o futuro que virá em nossas vidas.

Quando chega a primavera, o lavrador inicia os preparativos para a plantação. Nesta época, o importante é cultivar a terra e semear.

Para colher qualquer fruta ou legume, é preciso preparar a terra, plantar as sementes, adubar, tirar as ervas daninhas e ter muita dedicação para proteger a plantação da chuva e do vento. Todo o esforço do lavrador, que plantou a semente, trabalhou duro e cultivou a terra com tanto sacrifício, é recompensado com a colheita.

Não são apenas os agricultores que semeiam. Nós também plantamos sementes no nosso cotidiano. Essas sementes são nossos gestos físicos, cada palavra que falamos, aquilo que pensamos ao longo do dia, desde quando acordamos até o momento de dormir.

As ações que praticamos com o corpo são, por exemplo, exercícios físicos, a limpeza que fazemos em casa, lavar as mãos, arrumar o quarto, cozinhar ou dar um simples, mas sincero sorriso.

Alguns exemplos de ações da boca: cumprimentar as pessoas alegremente, agradecer alguém por um favor recebido, elogiar as pessoas.

Podemos citar algumas ações mentais, como: pensar positivamente, ser atencioso e nos preocuparmos com a saúde das pessoas, sentir gratidão.

O Budismo ensina, a partir do Princípio da Causalidade, que toda semente plantada certamente germinará, produzindo frutos que retornarão para nós mesmos. E que, por isso, nenhum esforço feito será em vão.

Há mais de 2600 anos, Buda Shakyamuni indicou o caminho para uma vida plenamente feliz e ensinou quais são as boas sementes (ações) que proporcionam a felicidade, que serão explicados em textos futuros.

Se não semearmos, jamais colheremos os frutos. Sem plantar as sementes da felicidade, não será possível avançar em direção à felicidade nesta vida. Portanto, vamos nos esforçar em plantar as sementes, para depois, pensar na colheita.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

Mauro Nakamura
Professor de filosofia budista, autor, editor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *