Blog

  • Home
E6EF7CAA-9875-40C2-BB50-9A72DA90DDAE

Criticar não é fácil. Requer decisão e firmeza. 

Se não se repreende uma pessoa que está errada, ela passará por muitas vergonhas, mas quem aponta o erro acaba sempre por ficar malvisto. 

A grande montanha do desejo por elogios e ganhos só atrapalha e não se consegue criticar nem mesmo um erro óbvio. Isto acontece até com membros da própria família. 

(Texto de Kentetsu Takamori, autor do livro “Porque vivemos”)

Elogiar é fácil. Quem elogia, trilha por um “caminho seguro”, pois nenhum ser humano fica insatisfeito ao ser elogiado. Mesmo que o elogio seja de uma criança, ficamos lisonjeados. Por outras palavras, quem elogia, sempre será benquisto. Por isso, é a opção mais simples e imediata.

No entanto, elogiar não é o “único caminho” para fazer uma boa ação e praticar a generosidade. A prática do bem vai muito além de falar palavras bonitas, que agradam a todos. Praticar o bem também é “evitar as más ações”, tanto as nossas como a dos outros.

Repreender ou criticar alguém que faz um ato equivocado, errado ou mau, é uma boa ação que podemos e “devemos” praticar. Quem vê uma outra pessoa a praticar uma má ação “deve” repreendê-la e criticá-la pelo bem do outro, pela felicidade alheia. A pessoa que pratica uma má ação, com certeza, irá sofrer com as más consequências provenientes das próprias ações que praticou. Por esta razão, repreender, criticar e evitar que a pessoa pratique uma má ação é fazer com que ela não tenha sofrimentos no futuro. 

Mas não é nada fácil repreender ou criticar, pois normalmente a pessoa criticada não vê com bons olhos a pessoa que a criticou, por mais que na realidade, a crítica esteja correta e tenha sido feita com o objetivo de evitar que ela tenha más consequências no futuro.

O Princípio da Causalidade (causa e consequência) é válido para tudo e para todos, em qualquer época. Por isso, é uma verdade universal. 

Boas ações geram boas consequências, felicidade.

Más ações geram más consequências, infelicidade e sofrimento.

Minhas ações geram a minha felicidade ou o meu sofrimento, e constroem o meu próprio destino.

Vamos praticar o Princípio da Causalidade na nossa vida, pela nossa felicidade e pelo bem das outras pessoas também.

Este assunto também será discutido e explicado no Curso Online Compaixão e Sabedoria. Maiores informações sobre o curso no link abaixo.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

mm
Professor de filosofia budista, autor, diretor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *