Blog

  • Home
destino

Qual é a nossa reação quando algo inesperado acontece?

Se for um acontecimento bom, nos consideramos uma pessoa de sorte, que por acaso teve um bom destino. Mas no caso de infelicidade, pensamos: por que justo eu tenho que passar por isso?

Quando não conseguimos compreender por que algo acontece, logo achamos que é “coisa do destino” ou que aconteceu por acaso.

Algo ocorrer por acaso significa que aconteceu casualmente, ou seja, sem nenhuma causa. Mas será que nesta vida realmente existe algum fato que aconteça sem nenhuma causa?

Há mais de 2600 anos, buda Shakyamuni, o precursor do budismo, já ensinava que para toda e qualquer consequência, com certeza existiu uma causa, que não há nada que aconteça sem uma causa. Isso é chamado de princípio da causa e efeito, ou causalidade.

A palavra “causalidade“ refere-se à relação de causa e consequência. O termo “princípio“ significa uma verdade que é válida em qualquer época e lugar. Não há nada que ocorra sem uma causa. Se existir uma causa, certamente surgirá uma consequência. Resumindo, a semente não plantada jamais germinará. Da mesma forma, a semente plantada certamente um dia germinará e crescerá, não importa quanto tempo demore para acontecer.

Em 2012, cientistas russos fizeram uma flor nascer a partir de uma semente que ficou conservada por 32 mil anos numa toca de esquilos na Sibéria, perto do Pólo Norte. Isso é um exemplo de que para toda consequência, com certeza, houve uma causa. Mesmo na Ciência, esse princípio se verifica. Aliás, todos os campos de conhecimento humano partem desse pressuposto básico.

No passado, muitas doenças contagiosas causaram epidemias e mortes. Com o avanço das pesquisas na medicina, chegou-se à cura das mesmas e, com isso, muitas delas foram exterminadas do planeta.

Se não existisse uma causa para as doenças, jamais seria possível fazer o tratamento e curá-las. A investigação das causas é a mola propulsora do desenvolvimento científico e tecnológico da humanidade.

Se a medicina não considerasse que para toda consequência, com certeza, houve uma causa, o que seria de nós? Certamente a expectativa média de vida ainda estaria abaixo dos 50 anos, como na idade média.

Por isso, se culparmos o destino toda vez que ocorrer uma situação indesejável, deixaremos de pensar nas causas que geraram essa consequência.

Nesses momentos, não culpar o destino e refletir e sobre a “semente“ que gerou esse fato faz toda a diferença. Aqui está a chave para a vida saudável e feliz que todos nós almejamos.

Mauro Nakamura
Presidente da Itiman, professor de Budismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *