Blog

  • Home
F5BB4D8C-9F85-4F12-9C90-31657E15CE73

Sabendo que o monge Ryokan (1758-1831, Japão) era um homem de grande virtude, um velho de 80 anos bateu-lhe à porta e fez um pedido: «tenho ainda muitas coisas para fazer neste mundo. Gostaria de pedir uma prece para ter uma vida longa.» 

«Até que idade deseja viver? Sem saber isso, não me é possível fazer a prece», respondeu Ryokan. «Se pedir para viver até aos 90, terei só mais dez anos. Será que posso pedir para viver até aos 100?», perguntou o velho. 

«São só 20 anos. Quando completar 100 anos, terá de morrer. Está bem assim?», Ryokan insistiu. 

«Posso pedir mais?»

«Diga exatamente até que idade quer viver.» 

«Que tal até aos 150 anos? Pode ser?», perguntou o velho. 

«150 anos? Tem a certeza?», retorquiu Ryokan com toda a paciência. 

«Seria muita ousadia pedir mais…», hesitou o velho.

 «Não faça cerimónia», disse Ryokan. 

E assim o homem foi aumentando para 200, 300, 500 anos. Ryokan estava a ponto de explodir numa gargalhada, mas conteve-se. Por fim, disse: «já que vamos fazer a prece pedindo uma vida longa, diga exatamente quantos anos quer viver.» 

O homem acabou por confessar: «gostaria de pedir uma prece para me tornar imortal.» 

(Conto do livro “Sementes do Coração”, de Kentetsu Takamori)

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.

O último desejo de todas as pessoas é igual.

«Ninguém quer morrer, mas a verdade é que temos de morrer»: é a única certeza absoluta que temos na vida.

Não há contradição maior. Neste mundo existem muitas contradições; porém, nenhuma se lhe compara. 

Por esta razão, ter consciência desta realidade e encarar de frente a efemeridade da vida é um valor humano essencial para a nossa própria felicidade.

Nesta vida, todos os elos duram pouco. Somos marido e mulher, pais e filhos, por um período curto. Quando tomamos consciência desta brevidade, o elo de cada instante transforma-se num tesouro. 

Leia também o artigo “Vida e morte – temas inevitáveis no caminho para a felicidade plena”.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

Mauro Nakamura
Professor de filosofia budista, autor, editor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *