Blog

  • Home
tunisia-791895_1920

As relações humanas são complicadas. Numa empresa, se um funcionário é bem avaliado e recebe uma promoção, logo surge a inveja nos colegas de trabalho. Quando vamos fazer compras, almejamos ter o máximo de lucro, vantagens e benefícios, mesmo que para isso seja necessário negociar exaustivamente com o vendedor.

Até certo ponto, este sentimento é natural e próprio do ser humano. Mas por outro lado, pode ser a fonte de problemas e sofrimentos para nós mesmos.

No livro “Sementes do coração”, o professor Kentetsu Takamori partilha uma dica muito útil nos dias atuais.

“Nunca se deve pedir muito desconto: o vendedor também precisa de lucrar. Não vale a pena forçar uma descida excessiva do preço quando se vê o rosto triste de quem faz a venda. O ideal é que ambos fiquem satisfeitos.”

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.

Quando deixamos de lado o egoísmo e consideramos a felicidade alheia, também nos tornamos felizes.

Esta verdade também está presente no seguinte pensamento budista: “Não presuma ser o perdedor um fraco, pois apenas os fortes suportam a derrota”.

A pessoa verdadeiramente forte e vencedora não é aquela que se impõe ao falar mais alto ou que argumenta até o fim, mas é aquela que é capaz de se colocar no lugar do outro e pensar na felicidade alheia.

Leia também o artigo ” Colocar-se no lugar das pessoas – uma sensibilidade humana essencial”.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

Mauro Nakamura
Professor de filosofia budista, autor, editor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *