Blog

  • Home
Objetivo x Meios

Por que cada vida humana tem valor incalculável? Por que não podemos tirar a própria vida, por maior que seja o sofrimento? Estas perguntas só serão respondidas por completo quando for possível distinguir o objetivo de viver e os meios de viver.

Sakyamuni, o buda, explicou que por não saberem o propósito da vida, as pessoas não conhecem a alegria de viver e não sentem a felicidade de ter nascido humano. Ao obter a felicidade plena, surgirá o autêntico conhecimento e a genuína consciência daquilo que nesta vida é verdadeiro e o que é provisório (temporário e passageiro).

Tudo que se refere ao objetivo da vida é verdadeiro (duradouro), enquanto que todo o restante das nossas ocupações diárias relacionadas aos meios de vida, como as relações humanas, trabalho, hobbies, metas pessoais e outras atividades que proporcionam a sobrevivência e prazer na vida, embora muito importantes, são provisórias (temporárias).

Podemos comparar isso com a experiência de sonhar. A relação verdadeiro/provisório pode ser comprara ao dualismo realidade/sonho.

Uma pessoa pode sonhar que está num incêndio, fugindo para se salvar. Encurralada no telhado, ela enfrenta o fim iminente. Quando percebe que não há como escapar, ela acorda, banhada em suor, e descobre que era tudo um sonho. Enquanto sonhamos, não temos noção do que é sonho, nem do que é realidade. 

Somente no momento em que acordamos é que tomamos consciência do sonho e da realidade, simultaneamente. Só podemos saber que um sonho é um sonho quando ele termina e acordamos. Da mesma forma, saberemos realmente o que nesta vida é provisório quando encontrarmos e sentirmos a verdadeira felicidade, que é duradoura.

Toda a filosofia budista transmitida pelo buda Sakyamuni há mais de 2600 anos tem como único objetivo explicar e esclarecer o propósito da vida humana, sem a necessidade de ter crenças ou seguir dogmas. Segundo o budismo, o caminho para despertar do sonho da vida e distinguir claramente a verdade (objetivo da vida) do provisório (os meios de vida) é, primeiro, ouvir e compreender a filosofia, para então, praticar o ensinamento no cotidiano (seja por exemplo, em casa ou no trabalho) e vivenciar cada assunto compreendido.

Quando o propósito da vida estiver totalmente claro, todo sofrimento será recompensado: cada lágrima derramada volta para nós como uma pérola, como uma felicidade verdadeira. 

Saiba mais no livro “Porque vivemos”, de Kentetsu Takamori, e nos materiais disponíveis no site ITIMAN, como no vídeo abaixo.

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

Mauro Nakamura
Professor de filosofia budista, autor, editor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *