Blog

  • Home
1801F33C-EF5E-423F-971C-0E500F1ADE86

Se com essa proposição elas querem dizer que o importante é perseverar, superar as dificuldades e seguir em frente, muitos vão concordar e dizer: «É verdade. Temos de aguentar firmes e continuar a viver. Só se vive uma vez, por isso viver tem um valor incalculável. O importante é o que se aprende com a vida, por isso, o propósito da vida é simplesmente experienciar a vida, viver e estar no presente, sentir em cada momento o que o Universo nos oferece e ser grato só por hoje.» 

Talvez, entre aqueles que questionam se a vida tem sentido ou não, haja alguém que sinta consolo ao ouvir que só o facto de estar vivo já é razão para viver. 

Mas, para quem sofre sem saber porque vive, a resposta «Viver é o propósito da vida» só causa frustração e mais sofrimento. Na realidade, porque isso não é uma resposta. 

Basta pensar um pouco. Se perguntar a alguém que gosta de correr «Porque corre?» e a pessoa responder «Para aumentar a minha força», a resposta faria sentido; no entanto, se alguém responder «Corro por correr», ficaria a coçar a cabeça, intrigado. Pergunte a um estudante porque faz o exame de acesso ao ensino superior. A resposta «Porque quero entrar na faculdade» seria aceitável. Contudo, se ele dissesse «Vou fazer o exame de acesso ao ensino superior só por fazer», seria um absurdo. 

Da mesma forma, a indagação «Porque vivemos?» não pode ser respondida com «Vive-se por viver» — isto seria uma afirmação sem sentido. 

Porque vivemos tendo de enfrentar todas as dificuldades? Se o propósito da vida não for esclarecido, incentivos, por mais bem-intencionados que sejam, do tipo «Lute e ultrapasse as dificuldades!», «Nunca desista!» ou «Não se mate!», vão soar como o estalar de um chicote para alguém que corre em círculos, sem uma meta. 

Repetir simplesmente o ciclo de comer, dormir e levantar, sem conhecer a alegria e a satisfação duradouras, é como correr sem saber que direção seguir. É nunca atingir a sincera e genuína alegria de poder dizer: «Como sou feliz por estar vivo!» 

Ninguém se consegue esforçar para manter o ritmo sem a expetativa ou a alegria de transpor a linha de chegada. Também na vida só os que têm um sentido claro de direção e propósito conseguem manter o rumo com vigor. 

Quando o propósito da vida se torna evidente, todas as atividades — estudar, trabalhar, tratar da saúde — adquirem significado, e a vida enche-se de alegria e satisfação. Mesmo em situações em que o indivíduo sofre com uma doença, com uma disputa em família ou com uma derrota, a força de viver leva-o a superar todas as dificuldades a fim de realizar o grande propósito da vida. 

Este é o propósito da vida explicado pela filosofia budista, há mais de 2600 anos. Para saber mais sobre este tema e compreender com maior profundidade, leia o livro PORQUE VIVEMOS (de Kentetsu Takamori e publicado em Portugal pela Farol / Penguin) e acompanhe os artigos, cursos, palestras e eventos da ITIMAN.

mm
Professor de filosofia budista, cultura japonesa e pensamento nipónico, autor, diretor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *