Blog

  • Home
44F09F6A-4E17-438B-9BE8-0425602835E9

Alguns podem pensar que não há diferença em dizer “propósito DA vida” ou “propósito DE vida”, que o significado é o mesmo, ou que se trata apenas de uma diferença gramatical de escolha da preposição “da” ou “de”, que em nada altera o sentido, conteúdo e mensagem transmitida pela expressão. Na realidade, muda totalmente o significado e conceito da expressão em questão. A diferença é da água para o vinho.

“Propósito DA vida” significa “o propósito da vida do ser humano” e refere-se ao objetivo pelo qual nascemos e estamos a viver como seres humanos, o desenvolvimento humano. Por outras palavras, é o propósito final e supremo da vida de qualquer ser humano: eliminar o sofrimento (de qualquer tipo que seja) e obter a felicidade plena e verdadeira nesta vida, desejo comum, único e igual para todas as pessoas, independentemente de idade, sexo, cor, raça, ideologia, religião, cultura, idioma, nacionalidade e época. 

“Propósito DA vida” é o propósito universal da vida humana, igual e comum a todos os seres humanos, sem exceção. É o objetivo e sentido de existência de toda e qualquer pessoa, pois está relacionada à essência e natureza do ser humano.

“Propósito DE vida” significa “o propósito de vida da pessoa ou do indivíduo” e refere-se ao(s) objetivo(s) que uma pessoa tem ao longo da vida, o desenvolvimento pessoal ou autodesenvolvimento. Por outras palavras, são os vários objetivos e metas que traçamos em nossas vidas, de acordo com as nossas necessidades, desejos, ambições e sonhos. Como não há pessoas exatamente, 100% idênticas neste mundo, as necessidades, desejos, ambições e sonhos também não são exatamente iguais, ou seja, são diferentes. Podemos ter necessidades semelhantes e sonhos em comum, mas jamais seremos idênticos às outras pessoas. Somos seres únicos, com personalidade e escolhas individuais. Por isso, somos chamados de indivíduos.

“Propósito DE vida” indica o meio ou a motivação de (ou pela) vida de cada indivíduo. Por esta razão, pode ser diferente para cada pessoa. Não é preciso que as pessoas tenham os mesmos interesses, motivações, ambições e sonhos na vida. Pois tudo isso são meios de vida, formas e estilos de viver a vida. 

O exemplo a seguir poderá ajudar na compreensão da diferença entre o “propósito DA vida” (objetivo universal da vida humana) e o “propósito DE vida” (meios e motivações de vida de cada indivíduo).

“Viver” pode ser comparado a uma “viagem de comboio”. Nesta analogia, o “propósito da vida” do ser humano seria o destino final da viagem, a estação final em que pretendemos desembarcar (objetivo pelo qual estamos fazendo a viagem). Já o “propósito de vida” são as várias estações que existem ao longo da viagem (nossas motivações, meios e metas que temos ao longo da vida, importantes em cada momento que vivemos) , que necessariamente teremos que passar para, então, chegar à estação de destino final (propósito universal da vida humana, igual e comum a todos os seres humanos, sem exceção).

As opções que fazemos ao longo da viagem podem ser diferentes para cada pessoa, ou seja, o estilo de vida, escolhas sobre o que estudar, no que trabalhar, o que valorizar nesta vida e os desejos de cada um podem ser e são diferentes. 

Essas escolhas correspondem ao “modo de viver” das pessoas, isto é, aos “meios e motivações de vida”, que proporcionam felicidades, conforto e bem-estar, mas temporários. Apesar de serem muito importantes para que continuemos vivos, os “meios e motivações de vida” não são suficientes para nos conduzir a uma felicidade verdadeira e plena, pois mesmo tendo uma vida digna e alegre, possuindo saúde, dinheiro, família, casa, amigos e reconhecimento, essas coisas não continuarão para sempre, infelizmente.

Viver bem e aproveitar cada momento da vida, com alegria, paz e serenidade é muito bom, necessário e importante. Mas apenas isso não garante a duradoura e plena felicidade, paz interior e a verdadeira alegria de ter nascido como ser humano. É essencial saber claramente o propósito “da” vida, objetivo pelo qual nascemos e estamos a viver neste momento como seres humanos.

Por esta razão, a filosofia budista explica sobre a importância de sabermos de forma nítida e inequívoca a diferença entre o propósito “da” vida (objetivo da vida / questão “por que viver?” / desenvolvimento humano) e o propósito “de” vida (meios e motivação de ou pela vida / questão “como viver?” / desenvolvimento pessoal ou autodesenvolvimento). Ambos são igualmente importantes, pois embora distintos são, ao mesmo tempo, complementares. Mas o primeiro “propósito” será sempre primordial, pois refere-se ao objetivo da nossa existência.

A filosofia budista explica e esclarece o propósito “da” vida, o objetivo primordial pelo qual nascemos e estamos vivendo como seres humanos e indica o caminho para o desenvolvimento humano pleno: a conquista da felicidade duradoura e genuína nesta vida.

Este assunto fundamental para a nossa felicidade é explicado no livro “Porque vivemos e é, também, um dos temas do curso online “Por que vivemos?”, oferecido pela ITIMAN aos leitores do livro. Saiba mais sobre o curso e o livro no link abaixo.

Please wait while flipbook is loading. For more related info, FAQs and issues please refer to DearFlip WordPress Flipbook Plugin Help documentation.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

mm
Professor de filosofia budista, autor, diretor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *