Blog

  • Home
4C8E86D6-612F-4EBD-A28A-CF0F9DB0C625

Todos nós temos sonhos, algo que desejamos muito fazer nesta vida. Não há idade definida ou máxima para que um sonho possa ser realizado. Por isso, pessoas de todas as idades podem e devem sonhar, almejar e dedicar-se à realização do seu sonho.

A filosofia budista enriquece este pensamento positivo e otimista com a sabedoria de que todos os seres humanos têm a “mesma idade”. Isso significa que, nesta vida, não está definido que a pessoa mais idosa partirá primeiro, e os mais jovens depois. 

O vento da inconstância da vida pode soprar para qualquer pessoa, de todas as idades, em qualquer momento e local. Esta é uma verdade que não podemos ignorar, nem esquecer. Por ser assim, o momento para avançar em direção à realização dos nossos sonhos é agora. O período de fim de ano é propício para fazer reflexões e renovar os nossos sonhos e objetivos. 

Partilhamos um episódio inspirador, de muita sabedoria.

Esta é uma história sobre Siddhartha Gautama, que posteriormente tornou-se Buda Shakyamuni. Quando entendeu profundamente a transitoriedade da vida, Siddhartha saiu de seu rico palácio para procurar a verdadeira e duradoura felicidade.

Depois de algum tempo, viu um esquilo à beira de um lago, molhando repetidamente a cauda na água. Como achou estranho aquele comportamento, perguntou ao esquilo o que estava fazendo. 

“Estou querendo esvaziar o lago com meu rabo”, foi a resposta surpreendente. 

“Você acha que retirando a água, gota a gota, com o seu rabinho, vai conseguir esvaziar esse lago imenso? Isso vai levar séculos!”, exclamou Siddhartha.

“Isso mesmo”, replicou o esquilo. “Mesmo assim, não tenho a menor intenção de desistir, mesmo depois de cinco ou seis anos. Por mais tempo que leve, estou decidido a continuar até conseguir o meu grande desejo.” 

Inspirado pela determinação do esquilo, Siddhartha disse a si mesmo: “Eu também tenho um grande desejo, não menos grandioso que o do esquilo. Por mais tempo que leve, não vou desistir até alcançar meu objetivo”. Continuou sua busca e finalmente atingiu a iluminação suprema, o grau de buda.

Quanto maior o objetivo que se deseja atingir, mais importante é lembrar que nada pode ser obtido sem determinação.

Ao mesmo tempo, muitas vezes as pessoas querem alcançar um objetivo às pressas e se esquecem de suas limitações. Ficam exaustas e perdem o rumo. E, como resultado, obtêm exatamente o contrário do que pretendiam. 

Para tudo, é necessário ter a sabedoria de ser ágil, sem se precipitar. Quanto mais importante o objetivo, mais crucial é o ato de olhar onde se está pisando e prosseguir com cautela, passo a passo, mas sempre avançando, meio passo a mais que seja.

Leia também o artigo A escolha do caminho.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

mm
Professor de filosofia budista, autor, diretor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *