Blog

  • Home
Myoga Site

Um casal que tinha uma pensão ouviu dizer que uma planta chamada myoga era capaz de provocar o esquecimento nas pessoas. Certo dia,um homem que parecia muito rico alojou-se na pensão com uma bagagem enorme. Ganancioso, o casal, querendo que o cliente se esquecesse da mala quando se fosse embora, resolveu servir várias receitas preparadas com myoga: sopa de myoga, refogado de myoga, salada de myoga, myoga frita. Enfim, usaram myoga em todos os pratos. 

«O senhor desculpe-nos», pediram os proprietários ao hóspede. «Como estamos longe da cidade, não há nenhum prato especial. Preparámos tudo com a myoga que colhemos na nossa horta. Por favor, sirva-se.» 

«Ora, eu adoro myoga», confessou o homem. «Muito obrigado.» 

Não havia dúvida de que o hóspede se esqueceria de toda a bagagem quando se fosse embora. 

À noite, os dois ficaram deitados à conversa, fazendo planos: «vou comprar uma roupa nova para ti e, para mim, um belo par de sapatos de primeira», prometeu o marido. 

Ambos dormiram felizes, mal podendo esperar pelo dia seguinte. 

Quando o hóspede acordou, o casal serviu o pequeno-almoço, informando: «como o senhor nos disse que adorava myoga, preparámos todos os pratos com myoga outra vez. Por favor, sirva-se.» 

«Ótimo! Sopa de myoga, refogado de myoga, myoga grelhada… É tudo tão delicioso…», elogiou o hóspede. 

Pouco depois, o cliente foi-se embora todo satisfeito. 

Assim que ele se foi, o marido disse à mulher: «vamos ao quarto ver do que ele se esqueceu. Será que a bagagem ficou dentro do armário? Esquecida na estante? Na casa de banho? Debaixo da mesa? Vamos espreitar debaixo do tapete [tatami]. Parece que não se esqueceu de nada. Que estranho…» 

De repente, a mulher deu um grito: «marido, esquecemo-nos de lhe cobrar a hospedagem!».

(Conto de Kentetsu Takamori, autor dos livros “Sementes do coração” e “Porque vivemos”

PENSAMENTO MAIS COMUM E MENOS SÁBIO: Cremos que a desgraça só acontece aos outros. E a nós, somente a felicidade.

PENSAMENTO MENOS COMUM E MAIS SÁBIO: Colhemos exatamente o que plantamos. Tudo que acontece na nossa vida é resultante das ações que praticamos até hoje com o corpo, a boca e, principalmente, com a mente. Isto é ensinado no Princípio da Causalidade, base de uma vida feliz e da filosofia budista.

Leia o artigo “Como é construído o nosso destino? ” e saiba mais sobre o Princípio da Causalidade.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

Mauro Nakamura
Professor de filosofia budista, autor, editor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *