Blog

  • Home
YouTube_Viver o agora plenamente

«Viver o agora plenamente» é o que todos nós queremos, mas para isso é preciso saber viver. Mas o que é «saber viver»? Ou ainda, o que é preciso saber para «saber viver»? Talvez esta seja a pergunta mais adequada a fazer.


Para «saber viver» é preciso, antes de tudo, «saber olhar» a vida e o ser humano de maneira positiva e otimista, mas sempre de forma realista e sem distorções. «Ver corretamente» a vida e o ser humano é um conceito e uma virtude ensinada pelo Buda Shakyamuni.

A filosofia budista explica que «viver o agora plenamente» passa por «plantar as boas sementes do coração agora, quando podemos e queremos», pois não sabemos quando teremos novamente a mesma oportunidade. Desperdiçar ou não cada momento da nossa vida, depende unicamente da nossa força de vontade.


Há uma história muito inspiradora, que encoraja-nos, neste processo de plantar boas sementes do coração e praticar boas ações para a felicidade.


Um homem muito rico sofria de uma doença incurável e começou a melhorar inesperadamente. Quando estava quase bom, chamou o seu procurador e mandou- -lhe levar 50 mil euros ao médico, com o seu profundo agradecimento.
O procurador protestou: «Porquê agora? Por que não esperar até o senhor estar completamente curado?»


«Não, quero que leve o dinheiro agora. Quando eu já quase tinha perdido as esperanças de viver, pensei com todo o meu coração que, se ele me curasse, lhe daria de bom grado tudo o que possuía. Depois, quando a crise passou, mudei de ideias. “Ninguém faz uma parvoíce dessas”, pensei.

Primeiro, resolvi que metade era suficiente. Depois, um terço. O apego às minhas posses só aumentava. No final, pensei que dar 50 mil euros como gratidão seria parvo. “É função do médico curar os doentes; não há nada de especial nisso”, pensei. Morrem pessoas a toda a hora, ape- sar de receberem os melhores cuidados. Então, se eu melho- rei, quem me garante que foi pelos cuidados e habilidades médicas dele?” 

Comecei a achar que dar um presente tão valioso só me faria parecer ridículo. Se esperar até estar plenamente recuperado, vou acabar por me recusar a dar um cêntimo que seja. Não quero chegar ao ponto de ser assim tão ingrato. Enquanto eu ainda tenho este senti- mento, por favor, leve-lhe o dinheiro!»


Na vida surgem várias oportunidades e, quando acontecem, é importante ponderar, pensar e decidir se é o momento certo ou não para agir. Todavia, no caso das boas ações, quando a semente surge no nosso coração, devemos colocá-la imediatamente em prática. É o que o Budismo ensina a partir do seguinte pensamento:


Não precisamos de escolher o «momento certo» para plantar as boas sementes. Podemos plantá-las agora!


Este é o sincero e genuíno sentimento de uma pessoa que «vive o agora plenamente» e que avança em direção à verdadeira felicidade.

Saiba mais sobre este assunto e outros temas da filosofia budista, que explicam a relação de causa e consequência da nossa vida e do ser humano, no livro CAUSA E CONSEQUÊNCIA – Filosofia budista para o dia a dia.

Dúvidas, perguntas e comentários podem ser enviadas para Mauro Nakamura, pelos seguintes meios:

mm
Professor de filosofia budista, autor, diretor de conteúdo e presidente da ITIMAN. Diretor internacional da Ichimannendo Publishing Co. Ltd. - Tóquio, Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *